Jornal Correio do Povo investe em “realidade aumentada”

Foto: Reprodução Youtube

Na última quinta-feira, dia 27 de abril, a direção do Correio do Povo apresentou uma novidade na sua publicação. A realidade aumentada passou a integrar as edições impressas do diário a partir de hoje proporcionando uma experiência inovadora para o leitor.

De acordo com o representante da LZW Processamentos de Documentos, empresa que fez parceria com o Correio do Povo para desenvolver a ferramenta, Denilson Saltoris, o CP Mobil tem a proposta de organizar o processo de difusão de informações entre o jornal impresso e o meio on-line.

Com o aplicativo de realidade aumentada, o diário do Grupo Record pretende oferecer informações complementares às matérias publicadas no jornal físico, como áudios, vídeos, fotos, infográficos e documentos, além de possibilitar a opção de materiais em 3D.

O diretor de Redação do Correio do Povo, Telmo Flor, falou que a ideia tem como finalidade incentivar o leitor a não abandonar o hábito de ler o jornal impresso, trocando-o pelo conteúdo virtual.

Publicidade e reportagens passarão a ter conteúdos complementares que poderão ser acessados por meio da ferramenta Wikitude.

Para ter acesso ao conteúdo do jornal, o leitor precisará baixar o aplicativo ‘Wikitude’ gratuitamente no Google Play ou na Apple Store. Depois, procurar por Correio do Povo no app e marcar como favorito. Após realizar o processo, basta o leitor aproximar o celular ou tablet da publicação que tiver o símbolo de realidade aumentada e ter acesso aos conteúdos exclusivos.

O Correio do Povo pretende, ainda, acabar com as desvantagens que o jornal impresso tem em relação às outras plataformas, oferecendo conteúdos constantemente atualizados e ilimitados.

Fonte: Coletiva.Net

Anúncios

Notícia da Agex – Informativo nº 154

A Agex está mudando. Novas ideias surgem, mas não podem permanecer no papel, precisamos colocá-las em prática. Com isso em mente, o informativo semanal está diferente: além das notícias do campus que estamos habituados, a parceria com cadeiras de redação é concretizada através do novo espaço de crônicas. Também sabemos da curiosidade dos alunos nos eventos da universidade, então agora existe um espaço reservado para a agenda mensal.
Na edição nº 154, falamos sobre o encontro realizado pelo Programa Permanente de Acessibilidade da ULBRA e a coordenadoria de extensão, em que na Audiência Pública foram debatidos os oito pilares da acessibilidade em conjunto do público. Confira!

Audiência Pública debate os oito pilares da acessibilidade

Imagem: ACS Ulbra

Imagem: ACS Ulbra

O Programa Permanente de Acessibilidade (PPA) da Ulbra, em parceria com a Coordenadoria de Extensão, promoveu, na última terça-feira, dia 26, uma audiência pública sobre a Política Institucional de Acessibilidade, no auditório do prédio 14, a partir das 19h. O objetivo do encontro era ouvir as pessoas presentes, discutir o tema da acessibilidade apresentando dúvidas, sugestões, questionamentos e, desse modo, buscar soluções para determinadas demandas sociais.

A coordenadora de Extensão, Dalva Santana, abriu o evento e logo após passou a palavra para Margarete Soares, auxiliar administrativa do PPA, que conduziu e organizou o debate com o apoio do presidente do PPA Institucional, Laino Schneider e do diretor de Extensão, Gustavo Becker.

O público, então, foi divido em oito grupos de dez pessoas para debater os oito pilares da acessibilidade. São eles: Acessibilidade Atitudinal: trata das questões das atitudes pessoais em relação à acessibilidade; Acessibilidade Arquitetônica: inexistência de barreiras ambientais físicas nas casas, nos edifícios, nos espaços ou equipamentos urbanos e nos meios de transporte individuais ou coletivos; Acessibilidade Metodológica: inexistência de barreiras nos métodos e técnicas de estudo, de trabalho, de ação comunitária e outros; Acessibilidade Programática: inexistência de barreiras invisíveis integradas em políticas públicas e normas ou regulamentos; Acessibilidade Instrumental: inexistência de barreiras nos instrumentos, utensílios e ferramentas de estudo de trabalho e de lazer ou recreação; Acessibilidade nos Transportes: inexistência de barreiras nos transportes públicos; Acessibilidade das Comunicações: Inexistência de barreiras na comunicação interpessoal, escrita e virtual e Acessibilidade Digital: inexistência de barreiras na comunicação virtual.

Cada núcleo recebeu um material explicando o tema escolhido e teve 20 minutos para discutir, entre si, alguns tópicos apresentados sobre o seu pilar e, logo após, apresentar aos demais presentes as observações e sugestões a que chegaram.

Segundo um comunicado, publicado pelos organizadores, as conversas do evento sobre os oito pilares da acessibilidade, “nortearão, num futuro próximo, a efetivação das demandas sugeridas em prol do desenvolvimento da acessibilidade.”

Mostra APTC 2016 começa na próxima terça-feira

Cena do Filme A Oeste do fim do mundo Imagem: Accorde Filmes

Cena do Filme A Oeste do fim do mundo Imagem: Accorde Filmes

Começa no dia 3 de maio a Mostra APTC 2016, promovida pela Associação Profissional dos Técnicos Cinematográficos do Rio Grande do Sul. A mostra reúne um panorama dos últimos 30 anos do cinema gaúcho e terá a exibição de 20 longas e 50 curtas-metragens.

O evento acontece em três cinemas de Porto Alegre, com sessões no CineBancários, na Sala Eduardo Hirtz da casa de Cultura Mario Quintana e na Cinemateca Capitólio. A entrada da Mostra, que fica aberta até o próximo dia 12, é franca.

Entre os títulos mais recentes da mostra estão os longas Beira‐Mar(2015), de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, Castanha(2014), de Davi Pretto, A Oeste do Fim do Mundo (2014), dePaulo Nascimento, Se essa Lua fosse Minha, de Larissa Lewandowski (2014), o documentário Terráqueos: Vestígios de uma Era Digital (2014), de Frederico Ruas e o curta Castillo y el Armado (2014), de Pedro Harres. Também estão na programação:Anahy de las Misiones (1997), de Sergio Silva, Tolerância (2000), de Carlos Gerbase e Houve uma Vez Dois Verões (2002), deJorge Furtado, entre outros.

“A intenção desta Mostra APTC 2016 é mostrar a diversidade da produção gaúcha nestes 31 anos de existência da entidade, contemplando um audiovisual que está em transformação, principalmente nestes últimos dez anos, com a produção em formatos digitais”, explica o atual presidente da entidade, Davi de Oliveira Pinheiro.

Maiores informações podem ser encontradas no site http://www.aptc.org.br.

Fonte: Lockheart Filmes

Getty Imagens acusa Google de promover pirataria de fotos

Imagem: Reprodução

A agência de fotografias Getty Images prestou queixa formal contra o Google nesta quarta-feira. Na denúncia, a empresa acusa a maior ferramenta de buscas da internet de colher fotos de uma maneira que afasta o tráfego do site pago, ameaçando, portanto, o ganha-pão dos mais de duzentos mil colaboradores que dependem do seu modelo de negócios.

Segundo a Folha de S.Paulo, a Getty argumenta que o Google está pegando carona no negócio do fotojornalismo sem gerar conteúdo e que, em virtude de seu tamanho e relevância, aproveitou para mudar drasticamente a maneira de apresentar as fotos, gerando prejuízos para a agência.

A agência de fotografias havia procurado a gigante da internet para conversar há três anos, mas a resposta foi que ou eles aceitavam a nova forma de exposição ou teriam suas imagens excluídas. Yoko ressalta que ficar de fora da ferramenta de buscas mais utilizada no mundo seria o mesmo que ficar invisível na web.

Após a queixa, a Comissão Europeia terá que decidir se o Google violou ou não as regras de concorrência vigentes no continente.
Fonte: Portal Imprensa

Concorrente do Uber, Cabify chega ao Brasil e promete preços mais baixos

Imagem: Divulgação

Mais uma empresa de transporte particular por aplicativo irá iniciar as atividades no Brasil. A espanhola Cabify anunciou que irá começar a operar na cidade de São Paulo a partir de maio. Criada em 2011, a companhia tem modelo de negócio semelhante ao utilizado pelo concorrente americano Uber: motoristas e passageiros são conectados por meio da ferramenta exclusiva.

Com sua chegada ao Brasil, a Cabify começa a expandir suas ações na América Latina. O serviço já está presente no Peru e Chile desde 2012 e estreou há dois anos na Colômbia. Em contato com a agência de notícias Reuters, o chefe das operações da companhia no Brasil, Daniel Velazco Bedoya, antecipou que o interesse por outras quatro cidades do país e a possibilidade do lançamento de modalidades que incluam vans de passageiros e aeronaves. 

O tipo de cobrança é um dos principais pontos que diferencia a Cabify do Uber. Enquanto o primeiro divulgou que trabalha com sistema de tarifa fixa, com base na quilometragem percorrida, o segundo atua com a chamada “tarifa dinâmica”, em que horários de pico e grandes demandas em determinado local influenciam no preço praticado. 

A Cabify acaba de anunciar que recebeu o investimento de 120 milhões de dólares, liderado pela empresa japonesa de serviços de internet Rakuten. A quantia será usada para financiar a expansão do serviço no Brasil e em países vizinhos.

 Fonte: Portal Comunique-se