Repórter é detido ao fotografar briga de torcedores na Arena do Grêmio

A Brigada Militar deteu o repórter fotográfico Wesley Santos ao tentar cobrir um conflito entre torcedores que estavam chegando à Arena do Grêmio para assistir o jogo entre Grêmio e Internacional, no último dia 9. A confusão entre os torcedores foi dispersada pela BM e, logo em seguida, um agente da corporação tentou impedir o jornalista de fazer imagens no local. Wesley se negou a parar de fotografar pois estava identificado com jaleco e carteira da Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Rio Grande do Sul (Arfoc-RS) com credencial de imprensa. Ainda assim, ele acabou sendo algemado e levado à Delegacia de Polícia (4°DP), localizada na própria Arena. Foi registrado um boletim de ocorrência, encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim) para a abertura de inquérito para a investigação dos fatos.

A Arfoc-RS repudiou a ação da BM, através de nota e afirmou que irá apoiar o jornalista no que for preciso para que os fatos sejam esclarecidos. “Lembrando que nossa entidade representa todos os profissionais de Imagem, que tem como trabalho registrar fatos e acontecimentos em nosso Estado. Nosso dever é registrar o que é notícia. Nossas imagens são a única forma de expressão que não pode ser calada. Ninguém vai nos cegar”, disse a nota publicada pela entidade.

Confira o relato de Wesley à Aforc-RS na íntegra:

Após ver uma correria com cavalos e aparato da Brigada, corri junto com os mesmos em direção ao portão 06, setor oeste do lado externo da Arena do Grêmio. Chegando ao local, percebi uma tentativa de agressão de aproximadamente 10 torcedores do Internacional a um torcedor com camisa do Grêmio. Rapidamente, o tumulto foi dispersado pelo forte aparato da Brigada Militar. Quando visualizava os arquivos registrados, um soldado da BM, de maneira truculenta, abordou-me perguntando por que fazia fotos. Naquele momento eu já estava com jaleco da Arfoc-RS, carteira de associado Arfoc Brasil no pescoço e pulseiras de credenciamento (3), mesmo assim me apresentei como Imprensa. Ele respondeu: “Se continuar fazendo fotos aqui, vou quebrar sua câmera”. Naquele momento tomei uma distancia daquele grupo e continuei fazendo fotos, porém o mesmo soldado acompanhado de mais três outros, veio em minha direção e de forma truculenta baixando minha câmera, pediu para acompanhá-lo até uma viatura estacionada aproximadamente 20 metros do local.

Chegando à viatura me deram voz de prisão por “desacato a autoridade”.

Fui encaminhado para DPPA dentro da Arena do Grêmio, onde foi lavrado um TC por desacato e após apresentado ao Jecrim. Também foi registrado um BO contra os três soldados da Brigada Militar por tentar impedir o meu trabalho de fotojornalista.

Lamentável os fatos ocorridos. Atos como esse, denigrem a imagem da gloriosa instituição Brigada Militar. Ficam o meu desabafo e indignação. Tentar impedir o trabalho da imprensa é atentar contra o direito da sociedade à informação e, em última análise, à democracia.

Wesley Santos

Fonte:Coletiva.net

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s