Equipe Like a Jobs se destaca no Madrugadão e traz prêmio de Melhor Redator

O briefing do 5º Madrugadão Feevale foi liberado às 22h do dia 29 de outubro. O Instituto do Câncer Infantil foi o cliente desse ano e a tarefa das 17 equipes inscritas na competição era criar uma campanha para a Corrida pela Vida. A causa já contou com personalidades como Rodaika e Alexandre Fetter como garotos propaganda, o ex-jogador Falcão, e em 2011 o Guri de Uruguaiana. Para 2012, a criação ficou nas mãos dos acadêmicos de Comunicação inscritos na gincana promovida pela universidade FEEVALE.
A ULBRA foi representada pela Like a Jobs, equipe formada pelos alunos Priscila Leite e Maurício Fuchs, de Relações Públicas, Natália Stanoski de Jornalismo, Hélder Dahlheimer de Oliveira, Cristian Scheunemann, Nikolas Pacheco Müller, Gabriel dos Santos Castro, Tobias Rieth e Manuella Rivarola e Silva de Publicidade e Propaganda. O padrinho da equipe foi Jacques Ortiz, da SPR.
A Like a Jobs criou uma campanha baseada no conceito “correr é vida” e antes de criar conceito, buscou estudar o cliente, levando em consideração o tempo de existência da organização. A ideia foi mobilizar o público-alvo de uma nova forma, repensando a dinâmica de venda das camisetas, produto utilizado pelo instituto na Corrida pela Vida. Foram criadas novas peças, pensadas novas ações para divulgar a corrida, além da produção de um vídeo para veiculação em redes sociais e televisão.
O trabalho desenvolvido pelos alunos da ULBRA apresentou uma estrutura coesa e uma estética refinada com padrões de cores alinhados com a proposta fundamentada no foco voltado para o público jovem. Além da campanha de qualidade, a ULBRA se destacou através do aluno Tobias Rieth, que venceu na categoria Melhor Redator do Madrugadão 2011.
Outros prêmios, como Melhor Diretor de Arte, Melhor Atendimento e Melhor Planejamento também foram concedidos. Você pode conferir os resultados aqui.
A apresentação feita pela equipe Like a Jobs pode ser visualizada nesse link.
A equipe vencedora do Madrugadão 2011 foi a Uno Por Todos, do IPA, com a campanha “Cada Passo Move um Sonho”.
Ano que vem tem mais, e se você quiser participar, é só ficar ligado aqui no blog da Agex. 
Anúncios

Campanha convida o público a descobrir sua Feira do Livro

A diversidade que a Feira do Livro de Porto Alegre apresenta foi um dos pontos explorados pela agência Publivar ao criar a campanha da 57ª edição do evento, cujo início está marcado para as 17h desta sexta-feira, 28 de outubro.

A campanha procura valorizar a feira além da leitura e criar um efeito lúdico com um caça-palavras, no qual o leitor é convidado a interagir com as peças publicitárias, a fim de encontrar no jogo os motivos que o levam a participar do evento.

Diversão, romance, aventura, drama, pessoas, biblioteca, teatro e autores são alguns dos termos que estão escondidos em anúncios, cartazes, outdoors e demais peças de divulgação.

O publicitário Samir Salimen detalhou que o planejamento de comunicação para a Câmara Rio-Grandense do Livro  foi desenvolvido a partir de abril, quando a agência foi contratada e começou a reposicionar a entidade com um novo conceito, ‘ler pra valer’.

A estratégia culminou com o lançamento da campanha da 57ª Feira do Livro, com o apelo de que “A Câmara do Livro apresenta a feira, uma vez que o evento é realizado pela entidade, e esse reconhecimento merecia ser reforçado”, segundo Samir.

O diretor de Criação da Publivar ON, Fernando Garros, destacou que as campanhas anteriores pouco falavam sobre as atrações que compõem a Feira, que hoje é muito mais que o livro e abrange cultura e lazer de diversas formas.

“Tornou-se um evento muito maior. E único. Antes, as premissas eram baseadas apenas no livro, deixando de lado a identidade da nossa Feira do Livro de Porto Alegre, que é, sem dúvida, singular”, explicou Garros, responsável pela coordenação do projeto. “Nossa proposta é convidar o visitante a descobrir a sua feira, aquilo que mais lhe agrada, mostrando, assim, a diversidade contida no evento”.

Ficha Técnica:

Cliente: Câmara do Livro / Feira do Livro de Porto Alegre
Agência: Publivar ON
Direção de Criação: Fernando Garros
Atendimento: Samir Salimen
Planejamento: Vicente Muguerza
Criação: Caco Mendes, Atila Ferrarez, Pedro Mello, Giba Mendes, Rodrigo Silva, Thiago Borges e Fernando Garros
Produção: Meline Novo Mór e Luísa Sousa
Imagens e fotos: Alopratoons
Produtora de áudio: Radioativa
Produtora de vídeo: Alopratoons
Arte final: Maurício Santiago e Marcelo Oliveira
Webdesign: Rafael Cruz
Mídia: Neida Gonçalves e Renata Maira
Aprovação: João Carneiro, Vitor Zandomeneghini, Leonardo Molinari da Silveira (Câmara do Livro)

Fonte: Coletiva

Celito De Grandi lança livro em Brasília

A tragédia da família Kliemann virou livro em outubro de 2010. Assinada pelo jornalista e escritor Celito De Grandi, a obra foi apresentada em Brasília nesta quarta-feira, 26 de outubro.

O autor obteve documentos, entrevistas, testemunho das filhas do casal Euclydes e Margit Kliemann e reuniu o material para reconstituir o caso em forma de reportagem. A matéria se transformou em um livro, coeditado pela Literalis em parceria com a Edunisc, que está em sua segunda reimpressão e foi um dos mais vendidos na 56ª Feira do Livro de Porto Alegre.

A história da família Kliemann sempre fascinou Celito, desde a época de repórter do Diário de Notícias, de Porto Alegre. O deputado Euclydes Kliemann foi assassinado por um adversário político nas dependências da Rádio Santa Cruz do Sul, daquela cidade e o tiro foi transmitido ao vivo.

Já o mistério da autoria da morte de sua mulher, Margit, ocorrido um ano antes, mantém-se até hoje. Após ler a obra, o jornalista Alexandre Garcia, da TV Globo, escreveu: “Livro sensacional.Jornalismo exemplar”.

Já para o escritor Luiz Antonio de Assis Brasil, atual secretário estadual da Cultura, “o livro não pode ser chamado apenas de Jornalismo, mas de Literatura. Podemos incluí-lo em outras categorias de livros internacionais, como A sangue frio, de Truman Capote”.

Fonte: Coletiva

Lançamento do Jornal Metro em Porto Alegre

O Jornal Metro foi lançado ontem, em Porto Alegre, durante um almoço no clube Leopoldina Juvenil. O Grupo Bandeirantes realizou a apresentação da publicação. A versão gaúcha do veículo, que está presente em 22 países, priorizará notícias da capital e os fatos mais importantes do Rio Grande do Sul. 

O presidente da Band, João Carlos Saad, esteve presente no evento, além do vice-presidente de rede da emissora, Frederico Nogueira, e do presidente do Metro, Cláudio Bianchini. Cerca de 250 pessoas foram convidadas para a atividade, entre imprensa, colaboradores, autoridades e publicitários. A cerimônia foi divulgada pelo Grupo Bandeirantes através das rádio BandNews FM 99,3 e Band AM 640, enquanto a Band TV transmitiu o lançamento para todo o Brasil.

O executivo Luis Grisólio é o gerente do Metro Porto Alegre, e o jornalista Flávio Ilha, ex-repórter e editor assistente de economia do jornal Zero Hora, o editor-chefe . A tiragem inicial da publicação será de 40 mil exemplares por dia, elevando a circulação total do jornal no Brasil para 440 mil exemplares diários. Porto Alegre será a 130ª cidade,  e a oitava no Brasil, a receber o jornal, que já circula em São Paulo, Rio de Janeiro, Santos, Campinas, Curitiba e Belo Horizonte, e na região do ABC (Santo André, São Bernardo e São Caetano).

A primeira edição já pode ser conferida na versão online.


Fonte: Coletiva.net

Google recebe 1 milhão de currículos por ano, mas só aproveita 0,4%

Candidatos passam por até nove entrevistas e devem estar preparados para perguntas inusitadas: quantas bolas de golfe cabem em um ônibus escolar?



A Google recebe um milhão de currículos por ano, de acordo com pesquisa do site sul-africano Job Vine, especializado na busca de empregos. No entanto, no máximo seis mil são aproveitados, o que representa 0,4% do total enviado. Em 2011, excepcionalmente, serão 6,2 mil.
 
Embora a gigante, de fato, avalie os documentos que lhe são encaminhados, a maior parte dos funcionários é recrutada nas melhores universidades e em empresas rivais – nesse caso, os salários oferecidos devem ser altos, de modo a atrair pessoas que já possuem um bom cargo.
 
Segundo o Job Vine, o candidato pode ter de enfrentar entre quatro e nove entrevistas.  No passado, o número podia chegar a 29. O objetivo é verificar a existência de certas características que a companhia preza, como ambição e criatividade. Sua contratação só será concretizada depois que um comitê, formado por gerentes e diretores, a avaliar. A decisão, portanto, não fica a cargo de apenas uma pessoa.
 
O Facebook tem condições de enfrentar a Google?
 
Já que a Google busca identificar talentos em vez de priorizar habilidades específicas, perguntas inusitadas podem ser feitas durante a sabatina: “Quanto você deveria cobrar para limpar todas as janelas da cidade de Seattle?” ou “quantas vezes por dia os ponteiros do relógio se sobrepõem?” foram citadas como exemplos pelo portal. Muitas delas não têm uma única resposta correta.
 
Quanto aos salários, o mais alto vai para o líder em engenharia de software: 239 mil dólares anuais. Quando da contratação de alguém, a remuneração só é definida após passar pelo crivo de um dos executivos mais importantes da companhia.

Em junho deste ano a Google possuía 28,8 mil empregados, espalhados por 60 escritórios em 30 países – há menos de dez anos, em 2002, a quantidade era um décimo: 2,3 mil.
 
Ainda assim, nem se compara aos 90 mil da Microsoft, cujas atividades de suporte técnico a empresas a desenvolvimento da linha Xbox – requerem um quadro bem maior. 



Fonte: Uol